Na sexta-feira 8 de abril de 2011, a partir das 18h30 acontece na Livraria da Vila Fradique o lançamento do livro de André Mesquita “Insurgências poéticas – Arte ativista e ação coletiva” publicado pela Annablume Editora.

O livro é resultado de uma grande pesquisa feita por André Mesquita, tem prefácio de Cristina Freire e apresentação de Vera Pallamin.

Bibliografia indispensável para quem pesquisa Arte&Política, intervenções urbanas e coletivos artísticos, este livro busca tornar visíveis os modos de recomposição política dos movimentos sociais e seus pontos de contato com um conjunto recente de ações artísticas surgidas em países como Estados Unidos, França, Espanha, Canadá, Argentina e Brasil, especialmente entre os anos de 1990 e 2000.

Nestas duas últimas décadas, novas formas de cooperação e de participação social cruzaram as fronteiras do mundo, através de práticas nas quais a política não aparece simplesmente isolada ou acrescida à arte como mero acessório temático ou estético, mas como sendo um componente intrínseco de sua existência.

Duas características importantes dessas práticas são analisadas detalhadamente ao longo deste livro. A primeira refere-se às relações entre arte e ativismo e a segunda característica aqui investigada refere-se ao emprego de ações coletivas. Insurgências Poéticas reflete sobre os conceitos e objetivos de uma arte coletiva e engajada socialmente, considerando seus modos de experimentação estética e expressão política.

Informações sobre o lançamento:
Dia 08 de abril de 2011, sexta-feira, das 18h30 às 21h30.
Piso Superior
Rua Fradique Coutinho, nº 915 – Vila Madalena – São Paulo – SP.
(Estacionamento na Rua Fradique Coutinho, nº. 983)
(11) 3814.5811

Para comprar o livro pela internet com desconto, clique aqui

Veja como é a estrutura do livro:

SUMÁRIO

Prefácio. Arte e ativismo: mapeando outros territórios – Cristina Freire

Apresentação – Vera Pallamin

Introdução

Capítulo 1.

Uma contra-história criativa
Autonomia e resistência em rede.
Transgressão política do cotidiano
Uma experiência sensível comum
1.1 Fragmentos coletivos
Modelos de organização
Trocas e colaborações
Transversalidade e identidades múltiplas
Coalizões temporárias e linguagens híbridas
Afinidade, utopia e auto-organização
Arquivar eventos
1.2 A consciência coletiva no século XX
Revolução pela atividade artística
A construção dos momentos da vida
Nas ruas, o teatro de lutas
O conceito insurgente
Sobre comunidade e mobilização

Capítulo 2.

Táticas de ativismo artístico
2.1 (Re)combinando conhecimento e prática
Biologia contestativa e pesquisa amadora
Uma visão ciberfeminista
2.2 A arte do protesto
Criar armas simbólicas
Protesto como estilo de vida
Constrangimento tático e correção de identidade
2.3 Ativismo semiótico contra o poder da marca
O roubo da linguagem programada
Batalha binária no Império dos signos
A arte do cidadão
Rebelião™ à venda

Capítulo 3.

A imaginação de um espaço social
3.1 Expressões culturais de uma prática
Programas abertos e heterogêneos
Intervenções na cidade
3.2 Poéticas do fluxo
Situações efêmeras, rupturas sutis
Desvios do circuito.
3.3 A urgência do real?
Ação no tempo oportuno.
Zona de Poesia Árida

Conclusão.

Desenlaces de uma investigação
Bibliografia
Documentários e vídeos
Internet